Escolha uma Página

Ouço tantas, mas tantas vezes:

“A minha razão de viver são os meus filhos. Os meus filhos são o meu centro.”
Sabes, não acredito nisso.

Nem os teus filhos são o teu centro, nem tu és o centro deles.
Se assim for, o teu centro está fora de ti e isso, em boa verdade, não é possível.

Os filhos mostram-nos muitas vezes o estado do nosso centro. Isso sim.
Porque nos espelham? Acredito que sim.
Porque nos confrontam? Acredito que sim.
Porque nos questionam? Acredito que sim.
Porque acordam o pior dentro de nós? Acredito que sim.
Porque acordam o melhor dentro de nós? Acredito que sim.

Se achas que o teu centro está fora de ti, vai criar um vazio, mais dia menos dia.
Então onde anda o teu centro? Dentro de ti.
E quando tudo à volta parece que não está bem? Respira. Olha para dentro.
É lá no teu centro, que tudo se trabalha.

E se não souber qual é o meu centro? Sabes sim. Sabes o que te faz sentir bem. Sabes quando estás feliz e o tempo passa e nem se sente. Sabes quando fazes a diferença na vida de alguém. Sabes sim. Tu sabes o que te nutre. Este é o teu centro. Esta é a tua bússola interior.

Escrever-te nutre-me. Nutre o meu centro.

Abraço-te!

Sandra Matos

Para todas as mães que não fazem nada e fazem tudo. Tudo o quê? -
Se de vez em quando dás por ti a pensar, ou mesmo a verbalizar coisas
Pááááára de fazer isso!! - gritava a do meio para a mais pequena enquanto sacudia
Existem eventos que não controlamos. De repente acontece algo durante a gravidez ou até já
- Nem tenho tempo para chorar. - dizia-me uma mulher em tom de desabafo (quase,
Share This