Escolha uma Página

Já te aconteceu estares tão acelerada, com pensamentos sucessivos, em que falas muito e rápido e parece que estás sempre atrasada?

Estava no aeroporto de Milão a aguardar o meu voo de regresso da Grécia para Portugal. Era a minha segunda escala naquele dia. Sentia-me cansada, sem energia. Aguardava-me uma fila imensa para a entrada no avião que estava atrasado. Esperei em pé na fila como todos os outros.

Num banco ao meu lado estava uma mulher. Visivelmente cansada. Amamentava o bebé, enquanto falava com a filha mais velha e dava atenção ao filho do meio que esperneava no chão. Calmamente a mãe, pediu ajuda à filha mais velha para ajudar o irmão. Ele, cansado, extenuado, chorava e gritava no chão enquanto recusava o toque da irmã. A mãe começou a exaltar-se acelerando o seu ritmo no toque, na fala, na expressão corporal.

Por esta altura, aquela família já sentia o olhar de quem os rodeava.
O pai que estava na fila do balcão, literalmente saltou do sítio onde estava e correu em direção à sua família. Pegou no filho do meio que estava no chão a chorar. Pegou-o com tanta ternura, com tanto amor e disse-lhe algumas palavras que não ouvi, mas senti. Deu um beijo na testa da mulher e foi ver os aviões com o menino. A mãe encostou a cabeça para trás na cadeira e a filha mais velha abraçou-a.

Presenciar estes momentos é um previlégio para mim. Traz-me muitos ensinamentos e saber pedir ajuda, é um deles.

Saber pedir ajuda, quando o teu coração está apertado e ouves aquela voz: “Respira, respira!”

Como ressoou em mim aquele cenário. Senti uma compaixão enorme por aquela família. E sei que por vezes, quando não peço ajuda, esgoto-me.

E quando me esgoto perco a conexão comigo e a conexão com os outros. Por isso, respira! Lembra-te de respirar sempre que o teu coração se aperta. Quando respiras abres espaço para a ajuda entrar.

´Saber pedir e aceitar ajuda é um ato de humildade’ diz Mário Caetano no livro ABRE – 199 mensagens para libertares a tua vida.

Assim é!

Abraço-te com amor,
Sandra Matos
Mulher, Mãe, Coach
Professora de Yoga, Yoga no feminino
Fundadora da Escola Babyoga Portugal
www.sandramatos.net
www.babyogaportugal.com

Para todas as mães que não fazem nada e fazem tudo. Tudo o quê? -
Se de vez em quando dás por ti a pensar, ou mesmo a verbalizar coisas
Pááááára de fazer isso!! - gritava a do meio para a mais pequena enquanto sacudia
Existem eventos que não controlamos. De repente acontece algo durante a gravidez ou até já
- Nem tenho tempo para chorar. - dizia-me uma mulher em tom de desabafo (quase,
Share This