Escolha uma Página

Tornei-me mãe e perdi-me de mim mesma. – disse-me em lágrimas.

Durante a gravidez (sendo primeiro filho ou não), vives um mundo de possibilidades.
Imaginas como tudo vai ser, como vais fazer e que tipo de mãe vais ser.
Depois o bebé nasce. E descobres um mundo bem diferente do que imaginaste.
Não és só mãe. Tens o teu emprego, és companheira, cozinheira, doméstica, filha, neta, amiga.
Só que ser mãe é tão intenso, é tão arrebatador que rapidamente te sentes sugada por inteiro.
E é mesmo assim. Principalmente nos primeiros meses do bebé. Ou nos primeiros anos. E nos seguintes. E nos seguintes dos seguintes.
E um dia, olhas para ti e não sabes mais quem és… para além de seres mãe.
Nas formações que oriento ouço muitas vezes nas apresentações: Sou a______, sou mãe de…..
Então, é importante ires ajustando quem és, tendo consciência dos teus tempos de entrega. Quando não recarregas em ti a energia, o espaço, o amor, o cuidar e continuas a dar (porque as mães dão sempre e dão tudo!), na verdade estás a dar das tuas reservas e por isso esgotas-te, perdes-te… de ti mesma e começas a gritar em silêncio.
Mais tarde, é bem provável que te sintas culpada ou que culpes os teus filhos.
As mães são peritas e dominam bem a mestria da culpa.
No meu caminho de mãe, já me perdi. E não foi uma, nem duas, nem três. De vez em quando ainda me perco.
No meu caminho de mãe aprendi a reconhecer estes sinais em mim.
E ao reconhecê-los aprendi a agir para me recarregar a tempo, sem me esgotar.

Como podes reconhecer os teus sinais?
Começando a tomar consciência do que acontece contigo nestes momentos. Como reages, quais os teus sinais físicos: cansaço? irritabilidade? ficas muito sensível? agressiva? reativa? 

Descreve-te nesses momentos. Assim estarás a ganhar consciência. No meu caso fico muito sensível e reativa. Estes são os meus sinais mais evidentes de: preciso de Tempo para mim já!

Resgata. Resgata o poder de cuidar de ti.

Hoje.

E chega a um momento em que é mesmo preciso te retirares. Para criar o espaço necessário para reaprenderes a cuidar de ti. Reencontrar a mulher que há em ti. Sabe mais AQUI!

Sandra Matos

Para todas as mães que não fazem nada e fazem tudo. Tudo o quê? -
Se de vez em quando dás por ti a pensar, ou mesmo a verbalizar coisas
Pááááára de fazer isso!! - gritava a do meio para a mais pequena enquanto sacudia
Existem eventos que não controlamos. De repente acontece algo durante a gravidez ou até já
- Nem tenho tempo para chorar. - dizia-me uma mulher em tom de desabafo (quase,
Share This